08/04/2022 às 17h18min - Atualizada em 09/04/2022 às 00h00min

9 de abril – Dia Nacional da Biblioteca

Podemos comemorar?

SALA DA NOTÍCIA Instituto Pró Livro
www.prolivro.org.br
 

Infelizmente, a 5ª edição da Retratos da Leitura no Brasil nos diz que temos pouco a comemorar enquanto conquistas e democratização do acesso ao livro por meio das bibliotecas públicas. Somente 4% dos entrevistados (brasileiros com 5 anos ou mais) frequentam sempre uma biblioteca e 13% às vezes. Entre os que frequentam sempre, 53% utilizam as bibliotecas escolares ou universitárias. Apesar da pouca frequência, aqueles que frequentam avaliam muito bem o atendimento (96%) e as instalações (90%). O item pior avaliado é o acervo (57%), pois dizem não encontrarem os livros que procuram.

São várias as explicações para essa baixa frequência, em especial a falta de tempo e a ausência de bibliotecas próximas, como explicam os entrevistados, mas a pesquisa também revela que a biblioteca é vista pela maioria dos brasileiros como um local para estudar e para estudantes e não como um espaço para acesso ao livro e a atividades culturais por toda a comunidade. Certamente essa representação afasta aqueles que não são estudantes das bibliotecas públicas.

 

 

A ausência das bibliotecas escolares nas escolas 

Outro dado que não nos anima a comemorar essa data, é a ausência de bibliotecas escolares em escolas públicas do ensino básico. 

Segundo Censo realizado pelo MEC, em 2017, das 142.573 escolas públicas federais, estaduais e municipais, 61% não tinham biblioteca ou sala de leitura. Ou seja: 88.340 escolas não dispõem desse equipamento fundamental no processo de aprendizagem e do desenvolvimento do aluno. 

Nas escolas particulares o percentual de instituições sem bibliotecas é menor, mas não menos preocupante.  Das 37.569 escolas particulares, 27% não têm bibliotecas ou salas de leitura. Ou seja: 10.295 escolas particulares sem bibliotecas.

A preocupação fica maior ao analisar outros dados da 5ª edição da Retratos da Leitura:  64% dos estudantes do Fundamental I , que declaram ter bibliotecas em suas escolas, dependem da biblioteca escolar para ler os livros indicados pelos professores. 

 

A questão fundamental que fica é: e os estudantes daquelas escolas que não têm esse equipamento, onde esses alunos encontram os livros indicados pelos professores? A ausência de bibliotecas impede os professores de indicarem livros de literatura para seus alunos? 

Qual o impacto dessa “ausência” na aprendizagem dos alunos? Essa questão, que é recorrente em todas as edições da Retratos, levou o Instituto Pró Livro a encomendar outra pesquisa, para avaliar o impacto das Bibliotecas Escolares na aprendizagem dos alunos.

 

As Bibliotecas Escolares – fazem falta nas escolas? 

Para avaliar o impacto das BIBLIOTECAS ESCOLARES na aprendizagem dos alunos, o Instituto Pró Livro encomendou em 2018, ao INSPER, pesquisa que foi aplicada em 500 escolas, em 17 estados do Brasil, que, segundo a Prova Brasil, tinham bibliotecas ou salas de leitura instaladas.

Foi encontrada, segundo análise dos pesquisadores do INSPER, uma relação positiva entre a existência de bibliotecas escolares (ou salas de leitura) e o desempenho escolar em português e matemática no 5o ano do ensino fundamental. Essa relação é mais forte quanto mais vulnerável é a condição socioeconômica da criança. Essa evidência levou a buscar entender quais aspectos da biblioteca - condições de funcionamento, de espaço físico, de atendimento, do acervo, de integração com currículo e do uso de tecnologias - estariam mais fortemente correlacionados com desempenho escolar. A pesquisa revelou que mesmo quando não encontraram as condições ideais, o impacto na aprendizagem foi positivo em até 1.5 anos de aprendizagem, em especial, quando identificaram integração das atividades ( de leitura e pesquisa) do professor e responsável da biblioteca.

 

Outra revelação fundamental foi a de que o impacto da biblioteca é ainda maior nas escolas em regiões mais vulneráveis. Neste caso, a correlação com o IDEB aumenta em 0,5. Isso é muito significativo já que o IDEB, entre 2015 e 2017, no Brasil inteiro, cresceu 0,3 ponto.

Para saber mais sobre essa pesquisa acesse: https://prolivro.org.br/pesquisas-retratos-da-leitura/retratos-da-leitura-em-bibliotecas-escolares/ 
  

BIBLIOTECAS– UMA HISTÓRIA QUE SE CONSTRÓI SUPERANDO OS DESAFIOS DE CADA TEMPO

Devemos a esses templos chamados BIBLIOTECAS a preservação e a possibilidade de acesso a todo o conhecimento produzido pela humanidade. Durante séculos as bibliotecas foram as guardiãs da história humana e dos pensamentos escritos.  Desde Alexandria esses espaços já assumiram um outro papel fundamental, além de organizar as obras, ter um “tutor”, hoje nossos bibliotecários, para a indicação de leituras aos príncipes reais.

 

“Nas últimas décadas, com a sociedade da informação e a tecnologia digital, novos desafios foram impostos. Houve profundas transformações na gestão e no acesso às informações e acervos, obrigando bibliotecários a buscarem novos conhecimentos e habilidades para a gestão desses acervos, das informações e dos serviços prestados pela biblioteca. Mas, não foram somente esses os desafios para os bibliotecários: a tecnologia digital trouxe, também, os livros e os leitores digitais. Se por um lado, viabilizou as redes ampliando o acesso e integrando acervos, por outro, reduziu a frequência aos equipamentos físicos, limitando o contato entre leitores e bibliotecários.

 

Se retomarmos o papel de “tutor” do bibliotecário de Alexandria, verificamos que, estamos frente a um novo desafio: como ser um “tutor” -  aquele que auxilia na pesquisa e na escolha do livro - à distância, tendo a ferramenta digital como meio e suporte? ” 

O bibliotecário deve dominar outras habilidades e competências para assumir esse papel? 

Alguns entendem que não. Devem acolher os leitores no espaço físico da biblioteca. Mas, sem dúvida, não podemos ignorar as transformações que as novas tecnologias estão impondo em todas as áreas do conhecimento e do acesso à informação e comunicação. A biblioteca não pode deixar de ser um pólo dinamizador da cultura, do acesso ao conhecimento, à informação e a literatura, mesmo que para isso, deva usar as novas tecnologias de comunicação e informação para “chegar” até seu usuário e leitor.” (Zoara Failla) 

 

Mas a pouca frequência a esses equipamentos revelada pela pesquisa Retratos da Leitura no Brasil (somente 17% população com mais de 5 anos, frequenta sempre ou às vezes as bibliotecas)  e o fato de cerca de 70% dos brasileiros perceberem a biblioteca como um local para estudantes ou para estudar, é outro importante desafio que se impõem e que devem orientar políticas públicas , em especial, para promover um novo modelo de equipamento, aberto em horários que possibilitem a frequência daqueles que trabalham e oferecendo atendimento com bibliotecários e mediação para a leitura, promovendo o compartilhamento das experiências de leitura e atividades culturais (de forma presencial ou a distância), em sintonia com livros e literatura e  que possam interessar  a toda a comunidade.

 

Enfim, neste mês em que comemoramos o livro e a biblioteca , além da homenagem pela inquestionável contribuição para a humanidade, enquanto guardiã de todo o conhecimento que produzimos durante séculos, devemos destacar a importância das bibliotecas na democratização do acesso ao livro e a leitura para a grande maioria dos estudantes de escolas públicas no Brasil. Mas, devemos homenagear, também, aqueles que conseguem superar todas as limitações físicas desses equipamentos e os novos desafios trazendo inovações em gestão e acesso às informações, mas, também, promovendo ações exitosas na conquista de leitores, revolucionando e transgredindo para transformar as bibliotecas em espaços de criação e transformação, sem perder sua essência na promoção da leitura, da pesquisa e de leitores.

 

(*Essa data surgiu em referência à Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, instituída por decreto em 09 de abril de 1980. No dia 12 de março, foi comemorado o dia do Bibliotecário).

 

Baixe o pdf da pesquisa 5ª. Edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil a partir

de 14 de setembro no site do IPL: (www.prolivro.org.br)

 

Informações à Imprensa:

Camila DN

[email protected]

Celular:  11 95610-5598


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://sosnoticias.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp